As Palavras Fugiram: Entrevista: Sheila Lima Wing

Meu nome é Sheila Lima Wing, Lima por parte de mãe e Wing... bom, por frescura da minha parte... Hehehe... Brincadeira, o Wing veio por que me apaixonei pela família que criei para estrelar meu livro, e passei a sentir como se fosse parte integrante deles. Como estava procurando algo para que meu nome não ficasse tão "de pobre" quanto já é, creio que foram "dois coelhos com uma só cajadada".
Nasci em 20 de Novembro de... vamos deixar o ano de lado, please? Sou católica apostólica romana praticante, brasileira, nascida e criada no Rio de Janeiro (mais precisamente na favela da Maré, onde ainda moro até hoje), blogaholic e nerd.


Sempre gostou de escrever ou é um talento descoberto recentemente?
Antes de tudo gostaria de agracecer a oportunidade de falar um pouco sobre mim neste blog maravilhoso! Nossa, eu escrevo desde criança. Desde que descobri o mundo dos livros, e principalmente desde que li as obras de Lygia Bojunga Nunes, resolvi que meu sonho seria escrever um livro também. As primeiras tentativas minhas foram verdadeiros plágios, e eu nunca conseguia terminar uma história. Fiquei anos deixando a escrita de lado, até que embarquei no mundo dos blogs e criei um no qual comecei a postar uma história que continuava a cada post. Não deu muito certo, mas foram de fragmentos dessa história que o Doce Sonho Alado surgiu. Foi apenas em 2011 que comecei a levar o meu livro a sério e escrever "como gente grande"; mas tenho feito histórias curtas desde que aprendi a escrever. Quando era pequena também arriscava alguns poemas, porém, eles nunca foram o meu forte.


O que a levou a tomar a decisão de escrever um livro? Como surgiu a ideia para o tema?
Como já comecei a dizer na pergunta anterior, foi desde que comecei a ler os romances infanto-juvenis. Não foi bem uma decisão, foi mais uma paixão que queria se externalizar... não sei se vocês conseguem entender (nem eu me entendo na maioria das vezes... rsrs). O tema surgiu a partir do momento em que comecei a fazer links da minha vida com a história (ou da história com a minha vida). Muita das coisas que estão na minha obra são uma mistura das coisas que eu já vivi, ou daquilo que acredito, ou de pessoas que conheci, ou de coisas que tirei de conversas com minha irmã... creio que meus amigos de escola achariam muito mais graça em "Doce Sonho Alado" do que as demais pessoas. Apenas no meio do processo da escrita comecei a focar no tema "sonhos", sejam eles possíveis, impossíveis, aqueles que a gente tem enquanto está dormindo, etc. Uma curiosidade que eu ainda não disse lá no DSA é que assim que comecei a escrever ainda não sabia no que ele iria dar, só tinha umas situações prontas desconexas, que fui conectando como se fosse uma colcha de retalhos. Nem tinha um antagonista definido (a primeira antagonista da saga foi a última personagem a entrar). Quando o livro for publicado, falarei sobre isso com mais detalhes... por enquanto vou deixar na curiosidade.


O que mais a inspirou?
Como já citei, usei nele muito da minha própria vida, mas não de forma explícita. Alguns dos personagens tem um pouco das pessoas que conheci, mas nunca de forma pura (sempre procuro misturar um pouco de cada um com um pouco de como idealizei o personagem). Mas o que mais me inspirou mesmo foram as coisas que acredito. Minha intenção maior é passar uma mensagem, e pretendo colocar em cada livro da série uma lição maior e várias outras pequenas (e também importantes). Em menor escala, também me inspiro com as histórias que eu gosto, seja de livros, seriados ou filmes. Sou uma maníaca por histórias patológica... hehehe... admito que algumas coisas também já foram inspiradas em histórias e personagens existentes, entretanto, 70% das semelhanças que possam haver não foram propositais, juro. No futuro falarei tudo o que só percebi depois que era parecido com outras coisas.


Fale um pouquinho sobre o seu livro :)
Doce Sonho Alado é o primeiro livro de uma saga de seis (que depois continua em outros quatro, que continuam a história, mas não a série). Ele não conta só a história de Evangeline Ayler (a protagonista), também vai desvendando uma série de mistérios que se passam na cidade de Coronel Boaventura e, principalmente, que envolve a estranha família Wing.

A trama acontece de forma mais intensa no semi-internato A. W. Sigma, onde a Evie estuda. Lá ela precisa lidar com dificuldades comuns da pré-adolescência, além de ter de se adaptar a um mundo de elite com o qual ela não tivera nenhum contato até então (ela mora numa favela e só estudara em escolas públicas). Contudo, o problema maior da garota é descobrir quais são as verdadeiras intenções do diretor Último Wing, seu tio de consideração. E enquanto tenta investigar a vida dele, ela esbarra em novos enigmas, e passa por inúmeras confusões. Digamos que DSA é uma mistura de mistério, aventura, humor e uma dose de fantasia que vai crescendo gradualmente (não é muito acentuada neste primeiro volume, só vai ganhando forma a partir do seguinte, que ainda estou escrevendo).


Foi necessária muita pesquisa para desenvolver seu livro?
Nesse primeiro livro a pesquisa ficou mais nos detalhes. Como usei muito da minha experiência pessoal, só pesquisei algumas coisas básicas, para deixá-lo mais rico em detalhes. Também usei bastante o Google na hora de decidir nome das coisas, claro que preferi usar os mais inéditos. Também procuro bastante nomes diferentes e o significado dos mesmos. Sou fascinada por significados de nomes.


Dos personagens que você criou, qual seu favorito?
Se tiver que escolher um só, escolho o Último Wing. Se puder escolher mais, digo que também gosto da Séfora, do Levi (o gato) e de dois outros personagens que só vão entrar depois, não posso falar deles pois vai gerar spoiler. A resposta óbvia seria a Evangeline, já que é a protagonista, mas a coisa com ela é diferente, meu carinho vai ao encontro com a luta que eu travo para que ela não seja uma sonsa (detesto personagens principais sonsos). Eu sou muito apaixonada pelas minhas criações... não abro mão de nenhum deles, e sim, morro de ciúmes.


Quais os seus autores favoritos?
Aaaaah, são tantos! Bom, já citei a Lygia Bojunga Nunes, que foi a primeira que conseguiu ganhar meu apreço. Não posso deixar de citar J. K. Rowling (a Rainha), que admiro demais da conta (sou Potterhead, só para você ter ideia). Mais recentemente me encantei por Rick Riordan (cara, ele é um gênio!), Alexandra Adornetto, Lauren Kate... atualmente estou lendo "As Crônicas de Nárnia", de C. S. Lewis, e nem preciso dizer que estou perdidamente apaixonada (te amo, Aslam! Rsrsrs...). Também tem uns autores que eu já amo antes mesmo de ler, como J. R. R. Tolkien, Suzane Collins, Sara Shepard, Stephanie Mayer... e há uma boa dose de livros que amo mas não conheço muito bem os autores. Se fosse explicar tudo aqui iria encher umas dez postagens... hehehe... No resumo, esses são os principais. Ah, também preciso citar os meus amigos autores de "Amores Impossíveis". Se é para falar de escritores que eu gosto, tenho que inclui-los também.


O que acha dos blogs e sites literários?
Ah, eu os amo! Como blogueira, tenho ótimo contato com eles, sigo vários. Fico impressionada em como a maioria consegue passar um conteúdo mais interativo mesmo falando de um único assunto, que é a literatura. Também fiquei surpresa recentemente com a quantidade de blogs desse tipo que existem, nunca pensei que fossem tantos (e dizem que brasileiro não gosta de ler, né? Hehe). Eu não conseguiria transformar o DSA num blog lierário, pois gosto de ter a liberdade de falar sobre todas as esferas que amo, e também gosto muito de passar às pessoas um pouco sobre aquilo que sei, seja com tutoriais ou com dicas. Mas se fosse para ter um cantinho com assunto único, acho que escolheria ter um blog literário, claro!


O que é fundamental para escrever um livro? Dê um conselho aos futuros autores ;)
Antes de tudo, nunca perca um momento de inspiração. Escreva todas as suas ideias, nem que precise usar um rolo de papel higiênico para anotar. Não deixe de praticar (pois a escrita também enferruja), de ler a toda hora e de estar perto daquilo que lhe inspira.

Nunca desistam de seus sonhos, se você quer publicar um livro, tente o máximo que puder, nem que tenha que escrever duas linhas a cada dia. Logo você verá que seu sonho está tomando forma de forma mais fácil do que pensava... ele só será impossível se você o deixar de lado.


E ai, gostaram da entrevista?
Para saber mais sobre doce sonho alado confira a postagem sobre o livro aqui.

7 Comentários:

Menu

Siga o blog

Follow As Palavras Fugiram

Ultimas Resenhas



Skoob

Receba a newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Blogs Parceiros

my dear library


Mais parceiros >>

Editoras Parceiras

Eu participo...

Classificação

Não perca seu tempo

É mais ou menos

Bom

Muito bom!!

Leitura obrigatória ;D

Seguidores