As Palavras Fugiram: Resenha: A Morte do Cozinheiro - Allan Pitz

ISBN: 8563080059
Páginas: 80
Editora: Above Publicações
Ano: 2010
Avaliação:
É verdade, eu matei o cozinheiro. Em momento algum deste livro negarei que matei o sórdido cozinheiro com minhas próprias mãos de escrever versos. Havia motivo claro em saciar-se com a sua morte, morte de quem por carne e gozo objetou-se ao incomensurável amor que me tornava tão puro. Eu estripei-o com suas facas imundas de trabalho banal, e escalpelei por mimo infantil, de criança brincalhona, ao ver os índios e escalpes na TV. Matei o demônio com noventa facadas, cultivando um novo demônio sanguinário em mim, portanto não negarei ter feito a coisa mais maravilhosa que eu poderia fazer por minha inconsequência gloriosa naquele momento: Eu matei o cozinheiro.
A morte do cozinheiro já deve ser considerada uma das obras literárias mais intensas e atuais sobre a dor de cotovelo e o ciúme. De forma singular o autor nos guia sem medo até o amor doente de Luiz Aurélio e as psicoses novas da recente solidão induzida. A derrota do ”eu” exaltado, o abandono, e a morte que pede lugar ao descontentamento puramente egoísta caminham livres. Vemos um jogo de querer e não poder, que desenrola o frágil espírito do ser humano desiludido de amor. Usando a mescla de linguagens necessária em sua abordagem diferenciada, Allan Pitz atormenta os corações abalados neste livro memorável e instigante, fazendo enxergar com outros olhos a parte considerada cruel de uma trágica história romântica.

Começo minha resenha explicando para vocês o quanto é dificil resenhar um livro pequeno, sim, pequeno. A Morte do Cozinheiro tem apenas 80 páginas, e o próprio tamanho dele também é minusculo, então vou fazer o possivel para resenhar sem dar spoilers ;D

A narrativa alucinda de Pitz me deixou curiosa ao longo da leitura, eu queria saber o final, precisava saber.
A leitura foi rápida, não deu nem uma hora somando todos os tempinhos livres em que li.

O livro é escrito como que pelo próprio Luiz Aurélio, narrando tudo o que aconteceu quando matou e como matou o cozinheiro.
Quase em todo o livro, nos é apresentado um personagem psicótico e no limite da razão, em certas cenas de sua escrita fiquei na duvida de como certas coisas aconteceram.

Claro que como em todo o bom livro, o final foi totalmente imprevisivel, confesso que não imaginei que fosse acabar daquele modo, e ainda nos deixar na dúvida.

Luiz Aurélio é um homem que ficou realmente perturbado depois de ele e Carmen se separarem, ainda mais quando a ex-namorada começa um relacionamento com o cozinheiro Luiz começa a ir cada vez mais para o fundo do poço. A facilidade com que ele descreve o plano e a morte do cozinheiro chegam até a assustar, afinal ele não tem nem um pingo de remorso na voz.

A unica coisa que atrapalhou minha leitura foram os parágrafos muito grandes, afinal eu aproveitei um tempinhos entre uma ligação e outra do trabalho para ler, ou intrevalo das aulas isso deixou a leitura meio que interrompida, e tinha que reler o paragrafo.

Desculpem a resenha ser pequena, mas sem dar spoiler foi o máximo que consegui rsrs. Eu gostei bastante do livro, que tal vocês conferirem?

0 Comentários:

Menu

Siga o blog

Follow As Palavras Fugiram

Ultimas Resenhas



Skoob

Search

A carregar...

Receba a newsletter

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Blogs Parceiros

my dear library


Mais parceiros >>

Editoras Parceiras

Eu participo...

Classificação

Não perca seu tempo

É mais ou menos

Bom

Muito bom!!

Leitura obrigatória ;D

Seguidores